Presidência de UE expressa preocupação com violência no Timor

A Presidência austríaca da União Européia (UE) expressou neste domingo, em Viena, sua preocupação com a deteriorada situação de segurança e a violência no Timor Leste, e pediu a todas as partes para "contribuir para o restabelecimento da ordem pública e a tranqüilidade".Em comunicado, a Presidência da UE destaca como "resposta positiva" as ações dos Governos de Portugal, Austrália, Nova Zelândia e Malásia, que a pedido do Timor Leste enviaram forças de segurança e defesa ao país, uma antiga colônia portuguesa.Por outra parte, a UE deu as boas-vindas às iniciativas do secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, incluindo sua intenção de mandar um enviado especial ao Timor Leste "para facilitar o diálogo político".Os 25 anunciaram, além disso, que continuarão "supervisionando de perto a situação no Timor Leste".Após três dias de confrontos entre o Exército e um grupo de soldados que se rebelaram após serem demitidos, grupos de jovens desvinculados dos militares protagonizam os enfrentamentos e atuam em várias áreas, onde destruíram casas, quebraram vidros e incendiaram carros.As forças de paz australianas, malaias e neozelandesas, que completaram neste domingo seu desdobramento na capital, não puderam, até agora, controlar a situação e pôr fim à onda de destruição, enquanto o número de refugiados e de evacuados continua crescendo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.