Presidente afegão admite ter falado com Taleban sobre paz

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, falou diretamente com insurgentes do Taleban sobre um acerto de paz no país, conforme admitiu pela primeira vez nesta sexta-feira, 6. A declaração acontece horas após um homem-bomba ter matado pelo menos seis pessoas em uma área próxima ao parlamento do país, em Cabul.O Taleban assumiu a responsabilidade pelo ataque e o país prepara-se para uma dura ofensiva de primavera, depois que 2006 registrou os piores combates desde que o grupo islâmico foi retirado do poder, em 2001.Karzai, que enfrenta um novo e sério desafio político ao governo, que para críticos e muitos analistas não vai bem, já havia oferecido negociar com o Taleban. Mas os Estados Unidos e alguns dos assessores presidenciais disseram que a oferta tinha condições.Nesta sexta-feira, ele repetiu a proposta a todos os afegãos, incluindo o líder do Taleban, o mulá Mohammad Omar, que está foragido, dizendo que todos são bem-vindos para negociações a fim de acabar com os combates mais sangrentos desde a queda do grupo."Representantes do Taleban encontraram-se com diferentes organismos do governo afegão por um longo período", disse ele em entrevista coletiva em seu palácio presidencial, isolado e fortemente vigiado. "Tivemos muitos outros talebans conversando conosco." E acrescentou: "Alguns talebans falaram comigo também", sem dizer com quem se encontrou. Ele não forneceu mais detalhes.Nova oposiçãoKarzai rejeitou também os pedidos de um novo grupo de oposição, que inclui membros importantes do seu próprio governo, para diminuir seus poderes. O presidente acusou países vizinhos, mas sem nomeá-los, de incentivarem esta medida.A Frente Nacional, criada nesta semana, exige uma mudança constitucional para criar um cargo de primeiro-ministro que compartilharia o governo com o presidente.O grupo quer também eleições diretas para governadores e prefeitos, que atualmente são apontados pelo presidente. Até esta semana, o país não tinha oposição formal."Sou veementemente contra isso e quero a continuidade do sistema e a nação afegã, sem dúvida, quer isso também," disse Karzai.A nova frente inclui o ex-presidente e atual deputado Burhanuddin Rabbani, diversos generais ex-comunistas que estão no parlamento ou no governo, e Mustafa Zahir, neto do rei Zahir Sha, de 93 anos.O grupo, liderado por Rabbani é formado em sua maior parte por veteranos da resistência dos Mujahideen contra a ocupação soviética nos anos 1980.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.