Presidente afegão pede ajuda externa por mais uma década

A representantes de mais de cem países, Karzai diz que 'jovem democracia ainda é frágil'; Paquistão boicota conferência

BONN, ALEMANHA , O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2011 | 03h06

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, pediu ontem à comunidade internacional que estenda o apoio militar e político ao país por, pelo menos, dez anos além do prazo definido para a retirada das tropas estrangeiras, em 2014. Reunidos com representantes de mais de cem países em Bonn, na Alemanha, as autoridades afegãs pediram, ainda, a manutenção da assistência financeira até 2030.

"Precisamos de apoio por pelo menos outra década", disse Karzai no evento, que marca dez anos da primeira conferência, também em Bonn, quando foi definido o novo governo após a queda do Taleban, em 2001. "Nossa jovem democracia permanece frágil", declarou o presidente.

Ausência. Os EUA esperavam, com o encontro, definir metas para um Afeganistão sustentável e independente da ajuda militar estrangeira. Mas dois dos principais parceiros contra a insurgência não foram à conferência, como o ex-chanceler do regime Taleban Wakil Ahmad Mutawakil, que foi anistiado; e o Paquistão, que os EUA acreditam ainda manter fortes ligações com os radicais islâmicos. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.