Presidente afegão rejeita pontos-chave de acordo

O líder da Aliança do Norte rejeitou, nesta sexta-feira, pontos-chave de um acordo político que vem sendo trabalhado em conversações patrocinadas pela ONU na Alemanha.Burhanuddin Rabbani, que foi o último presidente do Afeganistão antes da tomada do poder pelo Taleban, em 1996, reclamou que a delegação que representa o seu grupo na conferência está sendo "pressionada" a aceitar alguns pontos, entre eles um conselho interino nacional que deve ser formado e as forças de paz.Ele fez objeções aos planos para o envio de uma força internacional para manter a paz no Afeganistão, dizendo que prefere que a segurança seja providenciada pelas facções afegãs.Entretanto, se a comunidade internacional insistir no envio de tropas estrangeiras, o número de soldados, segundo Rabbani, não deve ultrapassar 200.Rabbani afirmou que quer a formação de um conselho interino como precursor de um governo permanente, mas seus membros não devem ser apontados nas conversações e sim serem eleitos diretamente pelo povo afegão.O conselho poderia, então, trabalhar no sentido da formação de um grande conselho permanente, disse Rabbani, numa coletiva, no palácio presidencial de Cabul, para onde retornou após os talebans terem fugido da capital, no começo do mês.Rabbani diz que se opõe a qualquer tentativa de restaurar a monarquia, mas afirmou que o rei deposto do Afeganistão poderia ocupar um cargo como político.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.