Presidente Bush diz que reforma migratória avançou

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou nesta terça-feira que aconteceram avanços no processo deaprovação de uma lei de reforma migratória integral, que ainda depende da harmonização no Congresso de dois projetos diferentes.Bush iniciou nesta terça-feira uma visita de dois dias à região da fronteira com o México. A visita foi a segunda em menos de um mês, desde que apresentou um plano que combina maiores medidas de segurança com um programa de trabalhadores temporários e com um caminho para a legalização dos imigrantes ilegais que estão há muito tempo no país.A visita, que o levou ao Novo México, Texas e Nebraska, coincide com o início da mobilização de cerca de 6 mil soldados da Guarda Nacional, que - seguindo o plano apresentado no mês passado - reforçarão a Patrulha Fronteiriça em suas operações de vigilância da fronteira durante os próximos três anos.Neste período, Bush quer praticamente dobrar o número de agentes da Patrulha, que iriam dos 10 mil atuais para mais de 18 mil.O presidente dos EUA visitou hoje um centro de formação daPatrulha Fronteiriça em Artesia (Novo México), onde pronunciou um discurso.Imigração ilegal Durante seu discurso, o presidente afirmou que a imigração ilegal "é um problema grave", que não coloca apenas em perigo a segurança nacional, mas também "prejudica o cumprimento da lei" e "cria uma economia submersa".O problema da imigração ilegal se transformou em uma das grandes polêmicas que o Congresso enfrenta neste ano de eleições legislativas. Segundo cálculos, atualmente há cerca de doze milhões de imigrantes ilegais nos EUA.O ponto que causa mais divergência é o relacionado ao programa de trabalhadores temporários e a abertura de uma opção de legalização dos imigrantes que estão há muito tempo no país.No entanto, Bush afirmou em que "está convencido de algo: Se não enfrentarmos todos os elementos ao mesmo tempo, não resolveremos nenhum deles".ProgressosEm seu discurso de hoje, o presidente expressou seu otimismo diante da possibilidade de o alcançar um final positivo e tentou destacar os pontos em comum das propostas, ao invés das diferenças que separam os legisladores.Bush disse que "estão sendo alcançando grandesprogressos" para a aprovação de uma reforma exaustiva do sistema, além de destacar o projeto de lei aprovado pelo Senado há duas semanas.O projeto de lei do Senado deve ser harmonizado agora com a proposta pela Câmara de Representantes, aprovada em dezembro de 2005 e que se limita a propor medidas mais duras de segurança. O processo de harmonização promete ser complicado, diante das grandes diferenças entre as duas propostas.O passo seguinte é a nomeação de um comitê formado por membros das duas câmaras, que negociará o projeto de lei final. O Senado já nomeou os 14 republicanos e os 12 democratas que o representarão neste comitê, porém a Câmara de Representantes ainda não realizou isto.O presidente dos EUA encerra na quarta-feira sua viagem com uma visita a Omaha (Nebraska), onde fará um novo discurso sobre a reforma migratória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.