Catalan Government/Handout via REUTERS
Catalan Government/Handout via REUTERS

Presidente catalão destituído é convocado pela Justiça

Carles Puigdemont e outros representantes de seu governo também deverão pagar uma fiança de 6,2 milhões de euros

O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2017 | 17h05

MADRI - O presidente catalão destituído Carles Puigdemont e membros de seu governo foram intimados a depor na quinta e na sexta-feira na condição de investigados na Audiência Nacional de Madri, anunciou o tribunal em um comunicado divulgado na terça-feira, 31. 

+ Líder catalão deposto diz que aceita realização de eleições e não pedirá asilo na Bélgica

Os catorze políticos, sobre os quais pesa uma ação por rebelião e sedição após a declaração de independência da Catalunha na semana anterior, deverão também depositar no máximo em três dias uma fiança de 6,2 milhões de euros, destacou a corte em um comunicado.+

+ Entenda: o que significa a declaração de independência da Catalunha?

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, destituiu na sexta-feira, 27, o Parlamento da Catalunha e convocou eleições para o dia 21 de dezembro. Mais cedo naquele dia, o Parlamento regional catalão havia votado uma moção para dar início ao “processo constituinte” e se separar da Espanha. Como resposta, o Senado espanhol aprovou a aplicação do Artigo 155, que autorizou a intervenção no governo da Catalunha e a destituição de seus líderes separatistas.

+ Políticos e servidores catalães retornam ao trabalho em meio à incertezas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.