Presidente chileno informa que 33 mineradores estão vivos

Trabalhadores estão presos há 17 dias em mina a 700 metros de profundidade

EFE,

22 de agosto de 2010 | 17h44

O presidente chileno, Sebastián Piñera, informou neste domingo, 22, que os 33 funcionários de uma mineradora presos há 17 dias a 700 metros de profundidade em uma jazida do norte do país estão vivos. Piñera leu a mensagem que os próprios operários colocaram em uma peça de uma máquina perfuradora: "Estamos bem, no refúgio, os 33".

 

"Isto (o bilhete) saiu hoje das entranhas da montanha, da parte mais profunda desta mina, e é uma mensagem de nossos mineiros que nos dizem que estão vivos", vibrou o líder, que viajou neste domingo a Copiapó, 830 quilômetros ao norte da capital chilena. Com o pedaço de papel na mão, no qual se podia ser vista uma frase escrita em vermelho, e com grande sorriso, Piñera acrescentou: "estão unidos para voltarem a ver a luz do sol e abraçar seus familiares".

 

"Hoje o Chile inteiro está feliz, cheio de emoção", afirmou o presidente, enquanto os familiares dos mineiros se abraçavam emocionados e agitavam bandeiras chilenas no acampamento onde cerca de 200 pessoas viveram angustiadas durante estas últimas duas semanas. Piñera elogiou "a força, o valor e a coragem" dos 32 trabalhadores chilenos e um boliviano presos na mina, de propriedade da empresa San Esteban, que "resistiram mais de duas semanas sozinhos nas profundezas da montanha".

 

Também agradeceu aos parentes, "que nunca perderam a esperança e sempre seguiram lutando", e à equipe de especialistas de companhias mineradoras públicas e privadas, "que não poupou nenhum esforço e que fez tudo o que era humanamente possível para resgatar os mineiros com vida". "A notícia nos enche de alegria e de força. Sinto-me mais orgulhoso que nunca de ser chileno e de ser o presidente do Chile. Mais orgulhoso que nunca de nossa gente. Acho que não podíamos começar melhor nosso mês da pátria (setembro) e a celebração do Bicentenário", enfatizou Piñera.

 

Os 33 mineiros completaram neste domingo 17 dias a 700 metros de profundidade na jazida de cobre e ouro San José, na região de Atacama.

Tudo o que sabemos sobre:
minaacidenteChilePiñera

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.