Presidente chinês diz que atritos com os Estados Unidos são naturais

Hu Jintao reiterou que relacionamento entre países deve ser baseada no 'respeito e benefício' de ambos

Efe

20 de janeiro de 2011 | 19h19

WASHINGTON - O presidente da China, Hu Jintao, afirmou nesta quinta-feira, 20, que, dadas as diferenças entre China e EUA, é "normal" que ambos os países tenham atritos, mas reiterou seu compromisso em continuar buscando uma relação bilateral baseada no "respeito e benefício" de ambos.

 

Diante das diferenças culturais e políticas, "é natural que tenhamos desacordos e atritos", disse Hu, durante um discurso perante líderes empresariais e do governo dos EUA.

 

O presidente chinês declarou que a relação bilateral vive uma profundidade "sem precedentes", mas reiterou a necessidade de continuar trabalhando para melhorá-la ainda mais com base no "respeito mútuo" e no benefício de ambos.

 

A China "jamais buscará a hegemonia" nem representa uma ameaça militar para nenhum país porque, ao contrário, acredita na busca de soluções pacíficas aos conflitos, enfatizou Hu, quem foi apresentado perante o fórum empresarial pelo ex-secretário de Estado Henry Kissinger.

 

Hu acrescentou que EUA e China estão comprometidos com a "paz mundial" e a estabilidade da ordem internacional, enquanto continuam trabalhando para promover o desenvolvimento econômico e a "plena recuperação da economia mundial".

 

Nesse sentido, Hu disse que, "embora permanecem as incertezas", a economia mundial está retornando à via do crescimento.

 

O governante chinês também enfatizou a necessidade de aprofundar a cooperação na Ásia oriental e no Pacífico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.