Presidente chinês faz advertência contra ameaças à segurança nacional

O presidente chinês, Xi Jinping, disse neste sábado que a China enfrenta crescentes ameaças à segurança nacional e alertou para os perigos do terrorismo em um discurso indicando que Pequim poderia impor controles mais rígidos sobre suas minorias étnicas.

Reuters

26 de abril de 2014 | 10h45

Xi disse ao Politburo, maior órgão de decisão da China, "para acabar resolutamente com a ousadia dos terroristas", conforme divulgado pela agência estatal de notícias Xinhua.

Os comentários de Xi chegam em um momento sensível para a China, com as autoridades combatendo distúrbios nas regiões tibetanas e em Xinjiang, lar de muçulmanos uigures.

A agitação em Xinjiang provocou a morte de mais de 100 pessoas no ano passado, levando a uma postura mais dura contra a minoria muçulmana uigur.

O governo atribui a violência em Xinjiang a militantes islâmicos e separatistas que querem estabelecer um Estado independente chamado Turquestão Oriental na região do extremo oeste.

Mais de 120 tibetanos atiraram fogo contra si mesmos desde setembro de 2009 para protestar contra o governo de Pequim, com muitos pedindo o retorno de seu líder espiritual exilado, o Dalai Lama. Pequim diz que os imoladores são terroristas.

Xi pediu para as autoridades "resolverem adequadamente conflitos que afetam a unidade nacional e resolutamente coibir e combater o uso de questões étnicas por forças hostis de dentro e fora do país para envolvimento em atividades separatistas, de infiltração e sabotagem."

(Por Sui-Lee Wee)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINASEGURANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.