Presidente chora ao se despedir de equipe

Obama fez discurso improvisado e agradeceu a assessores e voluntários

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE / WASHINGTON , O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2012 | 02h05

Enxugando as lágrimas, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um emocionado agradecimento aos membros de sua equipe de campanha e aos voluntários que trabalharam por sua reeleição. Fora de sua agenda em Chicago, o encontro de Obama com seus assessores ocorreu na quarta-feira, no quartel-general democrata, em Chicago.

No discurso improvisado, Obama ressaltou que sua reeleição completou um ciclo - ele não poderá mais concorrer à presidência. "Estou absolutamente confiante de que todos vocês irão fazer coisas incríveis em suas vidas", afirmou. "Em razão de tudo aquilo que vocês fizeram, o meu trabalho se torna muito mais importante. Eu estou orgulhoso disso e de vocês", completou o presidente reeleito, com lágrimas nos olhos.

As imagens desse encontro foram divulgadas ontem pela própria campanha democrata como uma peça de encerramento dos trabalhos. No vídeo, o presidente afirma que sua equipe foi muito mais eficiente no cumprimento de metas do que ele mesmo, na juventude, quando atuou como ativista comunitário em Chicago.

A gratidão de Obama foi direcionada exatamente para os que ajudaram na vitória sobre o republicano Mitt Romney, na terça-feira. Liderada por Jim Messina e por David Axelrod, sua campanha concentrou-se especialmente na montagem de um banco de dados, elaborado por um time de cientistas cinco vezes maior do que o de 2008, para indicar segmentos específicos do eleitorado.

Esse trabalho permitiu aos milhares de voluntários, que batiam de porta em porta e telefonavam para cada eleitor registrado como democrata, uma abordagem mais eficaz. A estratégia também ajudou a definir com maior clareza o tipo de propaganda mais adequada a cada alvo.

Embora a campanha de Romney trabalhasse com modelos equivalentes, o grau de sofisticação da estratégia de Obama foi apontada por Axelrod como o diferencial que garantiu a reeleição do presidente.

Obama foi recebido calorosamente pelos voluntários e membros de sua equipe de campanha. Todos se levantaram quando ele entrou na sala e alguns subiram nas mesas de trabalho para vê-lo discursar.

No dia da eleição, ele havia feito uma visita - também inesperada - a uma unidade de campanha próxima de sua casa, no bairro de Hyde Park, em Chicago. Ali, conversou com voluntários e telefonou para outros, de vários Estados onde a eleição se mostrava ainda indefinida, para motivá-los e para agradecer pelo trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.