Presidente colombiano lança campanha para reeleição

Principal aliado dos Estados Unidos na América do Sul, o presidente colombiano Alvaro Uribe deu o pontapé inicial em sua campanha para a reeleição nesta quarta-feira, no mesmo momento em que guerrilha esquerdista lança uma ofensiva em todo o país. Em resposta a uma nova onde de ataques, Uribe ordenou que a polícia e as forças armadas reforcem as patrulhas para prevenir que a violência atrapalhe o pleito presidencial marcado para o dia 28 de maio. "Todos os membros da polícia e soldados de todos as patentes estarão nas ruas e no interior da Colômbia para confrontar os ataques terroristas", disse Uribe no discurso em que anunciou sua candidatura. Os partidários de Uribe no Congresso aprovaram no ano passado uma emenda constitucional que cancelou um antigo veto à reeleição no país. A Colômbia não vê um presidente reeleito desde o século 19. A guerrilha esquerdista Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciou nesta semana um "boicote de viagens" ameaçando destruir qualquer veiculo interceptado em oito das 32 províncias colombianas. A Associação dos Caminhoneiros da Colômbia estima que o veto, que pode ser aplicado tanto a veículos comerciais quanto a veículos provados, custou aos transportadores cerca de US4 3,5 milhões desde o seu início há duas semanas. Desde terça-feira, rebeldes queimaram quatro veículos e dinamitaram redes de transmissão de energia, deixando 11 cidades se luz. Segundo as autoridades colombianas, as guerrilhas mataram 40 pessoas este ano, incluindo 9 vereadores em um massacre nesta segunda-feira. A guerra civil colombiana já dura mais de quatro décadas, e tem como protagonistas os rebeldes esquerdistas, o governo e paramilitares de direita que no passado operaram com o apoio tático do exército. Uribe, um ex-advogado, é um dos poucos líderes conservadores em um mar de presidentes esquerdistas na América Latina, e tem sido o principal aliado do presidente dos Estados Unidos, George W. Buish, no continente. De acordo com pesquisas de opinião, 60% da população apóia o governo de Uribe.

Agencia Estado,

01 Março 2006 | 20h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.