Presidente da Argentina debate economia com o papa

A presidente da Argentina, Cristina Fernández Kirchner, almoçou neste sábado com o papa Francisco na sua residência oficial no Vaticano, a Casa Santa Marta. Segundo ela, o pontífice, que é argentino, "não está nada preocupado" com a governabilidade do país e, pelo contrário, demonstra insatisfação com o funcionamento do sistema econômico internacional.

AE, Estadão Conteúdo

20 de setembro de 2014 | 21h01

"O papa está muito preocupado com a situação do mundo, isso é o que ele manifesta constantemente", disse Cristina já no aeroporto de Ciampino, após o encontro. A presidente afirmou que falou com Francisco sobre os chamados "fundos abutres", que levaram recentemente a Argentina a um calote técnico, ao que o papa respondeu citando a encíclica Evangelii Gaduim, que se refere aos países endividados. "Parece que foi escrita para a Argentina, mas na verdade serve para muitos países. Fala sobre a dívida dos países, os interesses, o peso para o povo, o crescimento exponencial das riquezas", completou.

Este foi o quarto encontro da presidente argentina com o papa e durou quase três horas. De Roma, Cristina viaja para Nova York, onde participa na próxima semana da 69ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na qual deve voltar a tratar da atuação dos fundos especulativos e cobrar uma maior regulação para a reestruturação de dívidas soberanas. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ArgentinaCristinapapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.