Presidente da Assembleia do Mali deve deixar exílio

O presidente da Assembleia Nacional do Mali forçado ao exílio, depois do golpe do último mês, deve retornar, neste sábado, para seu país, no primeiro passo para o retorno do Mali à lei constitucional, disse o chefe da Casa Civil, Issa Togo.

AE-AP, Agência Estado

07 de abril de 2012 | 14h56

Dioncounda Traore está atualmente no país vizinho, Burkina Faso, onde se autoexilou depois que soldados invadiram o palácio presidencial no Mali, derrubando o líder eleito democraticamente.

"Estou indo para Mali com meu coração cheio de esperança. Meu país tem passado por enormes dificuldades, mas estão indo com a esperança que o povo de Mali irá se unir em face desta adversidade", disse Traore para repórteres.

Os líderes do golpe de Estado dado há duas semanas concordaram em devolver o país para os civis, assinando um acordo na sexta-feira na presença dos ministros da Costa do Marfim e de Burkina Faso.

Ainda não está claro quão rapidamente Traore assumirá o poder e quando as eleições serão feitas para finalizar o retorno aos civis. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Maligolpeexílio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.