Presidente da Assembléia Geral da ONU admite que falta confiança na organização

Após a guerra do Iraque, muitospaíses perderam a confiança nas Nações Unidas, reconheceu nestasexta-feira o presidente da 58ª Assembléia Geral da ONU, JulianHunte, em visita a Cuba. Hunte, que é também chanceler de Santa Lúcia, foirecebido para uma rodada de conversações oficiais com asautoridades cubanas, interessadas em promover mecanismos parauma maior participação do Terceiro Mundo nas decisões desse foromundial. "Muitos países começaram a perder confiança no trabalhoe no papel da Assembléia e do Conselho de Segurança", disseHunte. As Nações Unidas não conseguiram conter a decisãoamericana de invadir a nação do Golfo Pérsico em 2003 e muitosEstados - entre eles, Cuba - propuseram a busca de caminhos parafortalecer o multilateralismo. Segundo Hunte, é preciso "reverter" a situação atual naONU e dar "novo oxigênio" à Assembléia, o órgão no qual estãorepresentados todos os países do mundo, com seus diferentesinteresses. O atual presidente da Assembléia Geral disse queespera obter consenso para uma mudança na representatividade noConselho de Segurança durante as reunião de trabalho da 59ªAssembléia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.