Presidente da Bielo-Rússia ameaça demitir premiê

O presidente da Bielo-Rússia, Alexander Lukashenko, ameaçou demitir seu primeiro-ministro e o presidente do banco central se eles não encontrarem uma forma de conter o crescente aumento dos preços ao consumidor, informou hoje a agência estatal de notícias.

AE, Agência Estado

27 de maio de 2011 | 17h22

"A partir de hoje, o aumento dos preços tem de ser contido da forma mais vigorosa possível. Se os preços não baixarem, você, Mikhail Vladimirovich, e você, Pyotr Petrovich, podem entregar sua fichas do partido comunista", disse Lukashenko, dirigindo-se ao premiê e ao presidente do BC, respectivamente.

Lukashenko também criticou autoridades russas - uma semana antes de Minsk receber a primeira parcela de um empréstimo de US$ 3 bilhões de um fundo de resgate de um banco russo - e ameaçou proibir todos os meios de comunicação estrangeiros no país.

Ele criticou o ministro de finanças russo Alexei Kudrin, que disse que a Bielo-Rússia poderia arrecadar US$ 7,5 bilhões com a venda de ativos estatais, incluindo o BeltransGas, um gasoduto que leva gás da Rússia para a Europa. A Rússia está em negociação para comprar a participação de 50% do governo por US$ 2,5 bilhões.

"Alguns políticos estrangeiros dizem que Lukashenko está começando a vender participação em companhias e até deram um valor de US$ 7,5 bilhões", disse Lukashenko. "Eu quero ser a primeira pessoa a dizer ''vá embora, não há venda'', especialmente pela barganha, que algumas pessoas que querem tomar nossos ativos sugeriram". Não está claro se o presidente pretende interromper as privatizações ou tentar vender as participações nas empresas a um preço mais favorável.

O homem forte da Bielo-Rússia, cujos gastos sociais antes da eleição presidencial do ano passado prejudicaram as parcas reservas do país e ajudaram a precipitar a atual crise, também ordenou que o governo expulse alguns meios de comunicação estrangeiros. "A mídia russa tem sido histérica", disse Lukashenko. "Eles querem que eu deixe o país imediatamente ou vá para o Casaquistão".

A situação financeira da Bielo-Rússia saiu do controle com a prevista desvalorização do rublo bielo-russo, que aconteceu na semana passada. A moeda local perdeu 36% de seu valor num único dia. Os preços dispararam desde então e os bielo-russos já acumulam produtos básicos por medo da crise econômica. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.