Presidente da Bolívia alega conspiração contra seu governo

O novo presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que companhias de energia multinacionais estão conspirando contra seu governo, e exigiu que seus aliados sejam mais firmes em suas decisões políticas. Morales, que jurou fazer com que todos os níveis de exportação de petróleo e gás ficassem aos cuidados de seu governo, não disse que companhias são essas, nem deu detalhes enquanto discursava para líderes da união rural.O presidente pediu aos movimentos sociais da Bolívia que se mobilizem para defender os planos de mudança dos contratos de energia encabeçados pelo governo, cujo objetivo é manter os lucros dentro do país. Atualmente, esses contratos estão nas mãos de empresas multinacionais. A Bolívia é um dos países mais pobres da América Latina, mas possui a segunda maior reserva de gás natural do mundo. Companhias multinacionais investiram US$3.5 bilhões na o país.Na última semana, Morales também ameaçou mobilizar os movimentos sociais caso o Congresso se recuse a aprovar seu pedido à Assembléia Constituinte para reescrever a constituição boliviana. Morales espera aprovar a proposta nas próximas semanas.A eleição da Constituinte será no dia 2 de julho, e a Assembléia Constitucional se reunirá no dia 6 de agosto, o dia de independência da Bolívia, de acordo com Morales.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.