Presidente da Catalunha admite poderia ficar fora da UE

O chefe do governo da Catalunha, Artur Mas, admitiu nesta segunda-feira que "de início" a região poderia ficar de fora da União Europeia após a independência, mas que o objetivo é fazer parte do bloco. Em entrevista para a emissora TV-3 ele também reafirmou que pretende convocar um referendo nos próximos quatro anos para a população decidir se a Catalunha deve ou não se separar da Espanha. O governo central espanhol é contra a realização da consulta pública.

AE, Agência Estado

15 de outubro de 2012 | 09h22

Nos últimos meses os sentimentos nacionalistas estão crescendo na Catalunha. A crise econômica aumenta o descontentamento da população e Más e seu governo vêm tomando medidas para levar à autonomia e desafiam Madri em seus discursos.

A intenção do presidente da Catalunha é fazer parte da União Europeia. Ele defende que a pergunta do referendo seja "se os cidadãos querem um Estado dentro da UE", informou o jornal El País. "Se todos os passos que nós damos nos outorgam legitimidade como país, temos direito de pedir amparo à UE. Como a Europa nunca se encontrou nesta situação antes, não podemos saber exatamente (como procederá), mas a Europa tem que preparar-se, pois isto pode ocorrer no Reino Unido e na Bélgica", afirmou Más na entrevista.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaCatalunhaUnião Europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.