TATYANA ZENKOVICH/EFE
TATYANA ZENKOVICH/EFE

Presidente da China defende mais controle ideológico nas universidades do país

Xi Jinping afirmou que estabelecimentos de ensino superior devem ‘ater-se às ordens do Partido Comunista’; movimento é a tentativa mais recente do governo de levar seu dogma às salas de aula

O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2016 | 12h33

PEQUIM - O presidente da China, Xi Jinping, defendeu um maior controle ideológico nas universidades do país, informou a imprensa estatal nesta sexta-feira, 9, em um momento de crescente inflexibilidade contra a divergência de opiniões e a liberdade acadêmica.

Os estabelecimentos de ensino superior devem "ater-se às ordens do Partido Comunista e fortalecer e promover o socialismo com características chinesas", afirmou Xi em um encontro sobre ideologia e política que terminou na quinta-feira, indicou a agência estatal de notícias Xinhua.

O movimento representa a tentativa mais recente do Partido Comunista de levar seu dogma às aulas, aumentando os temores de uma restrição ainda maior da já limitada liberdade de cátedra na China.

As universidades devem integrar um "trabalho ideológico" em todo o processo educacional dos estudantes, insistiu Xi, que pediu a inclusão de mais conteúdo relacionado à teoria marxista. As faculdades chinesas estão "sob a liderança do Partido Comunista (...), o ensino superior deve ser guiado pelo marxismo", completou.

No mandato de Xi, a repressão da liberdade de expressão, especialmente na internet, aumentou consideravelmente e centenas de advogados foram detidos pelo trabalho em casos de direitos civis considerados sensíveis pelas autoridades. De modo concreto, as universidades se transformaram em um novo campo de batalha pelo exercício do controle do Partido Comunista Chinês. / AFP

Mais conteúdo sobre:
China Xi Jinping Universidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.