AP Photo/Fernando Vergara
AP Photo/Fernando Vergara

Presidente da Colômbia descarta fechar fronteira com a Venezuela

Em reunião com governadores, Iván Duque afirmou que medida provocaria a migração desordenada

O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2018 | 03h58

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Iván Duque, descartou nesta terça-feira, 18, a possibilidade de fechar a fronteira do país com a Venezuela. Para o mandatário, a medida provocaria a migração desordenada.

"Não podemos nos deixar levar por esses sentimentos que alguns estão começando a colocar para fecharmos a fronteira. Como se, com o fechamento da fronteira, a imigração deixasse de ocorrer", disse Duque em uma reunião com governadores realizada na cidade de Yopal, capital do departamento de Casare, na região central do país.

Duque ressaltou que já tinha conversado com os governadores anteriormente sobre o problema e repassou a eles as ações urgentes que deveriam ser adotadas para lidar com a imigração.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 3 milhões de cidadãos deixaram a Venezuela desde 2015 para buscar refúgio em outros países da região por causa da crise socioeconômica que abala o chavismo. A Colômbia foi o principal destino desses imigrantes e recebeu 1 milhão de pessoas.

O presidente colombiano explicou que não somente levou a discussão para o nível internacional para dar visibilidade ao problema do país vizinho, mas também colocou em prática um protocolo do Conselho Nacional de Política Econômica e Social (Conpes), que permite a realização de um trabalho integrado entre todos os órgãos do governo para lidar com a situação.

"O que ocorre que, se as fronteiras forem fechadas, é que a migração será desordenada, sem caracterização e representará uma ameaça. Mas, se lidarmos de forma responsável, com programas como o Rutec (Registro Único de Trabalhadores Estrangeiros na Colômbia), que foram lançados neste quatros meses, podemos ter um melhor controle", argumentou Duque.

Para Duque, o problema pode se transformar em uma grande oportunidade para a Colômbia. Segundo ele, o país pode estar presente para ajudar a Venezuela a se reerguer.

Tensão diplomática entre Colômbia e Venezuela

As relações entre Colômbia e Venezuela, que compartilham uma extensa e porosa fronteira, passaram por altos e baixos nos últimos anos. O clima piorou especialmente por causa das trocas de farpas entre Nicolás Maduro e Juan Manuel Santos, antecessor de Duque.

Nesta segunda, 17, Maduro acusou Duque de organizar planos militar para atacar a Venezuela e pediu às Forças Armadas do país para se preparar para uma ofensiva do país vizinho. \ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.