Presidente da Colômbia indica que não tentará reeleição em 2010

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe,deu indícios de que pode não concorrer a um terceiro mandato em2010, preparando terreno, assim, para uma disputa entre osinteressados em suceder esse popular dirigente aliado dosEstados Unidos. Conclamando o país a encontrar outros candidatos a fim dedar prosseguimento à luta contra os insurgentes de esquerda econtinuar os esforços para atrair investimentos estrangeiros,Uribe pediu que o Congresso deixe de lado a proposta dereferendo a ser realizado para permitir a participação dele emuma nova eleição. "Acho que isso será melhor para o futuro da Colômbia do quetentar reeleger-me neste momento", disse o presidente a umaplatéia de universitários na noite de quarta-feira, dando osinal mais claro até agora de que não pretende disputar um novomandato. Visto com bons olhos em Wall Street devido a suas reformaspró-mercado, Uribe deixou em aberto a possibilidade de tentarreeleger-se em 2014, afirmando que a Constituição poderia seralterada com facilidade para permitir a participação dele nopleito daquele ano. "Ao sugerir que pode concorrer em 2014, depois de pular ummandato, ele está avisando aos outros candidatos que, se nãoseguirem as políticas dele, ele voltará e os derrotará", disseMauricio Romero, analista de política na Universidade Javeriana(Bogotá). Os sucessores em potencial -- entre os quais o ministrocolombiano da Defesa, Juan Manuel Santos, e a embaixadora dopaís na Grã-Bretanha, Noemi Sanin -- vêm esperando por pistaspara descobrir quais os planos de Uribe. A popularidade do presidente encontra-se atualmente acimados 80 por cento por causa de sua postura agressiva frente aosrebeldes financiados pela cocaína e que mataram o pai dele emuma tentativa de sequestro realizada em 1983. Os gruposinsurgentes enfrentam o governo desde os anos 60.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.