EFE/EFRAÍN HERERA
EFE/EFRAÍN HERERA

Presidente da Colômbia vai a Cuba para reunião com líder das Farc

Juan Manuel Santos e 'Timochenko' se encontrarão em evento das comissões de negociação; segundo fontes dos guerrilheiros, será anunciado o acordo sobre o ponto da justiça transicional

O Estado de S. Paulo

23 Setembro 2015 | 12h18

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, se reunirá nesta quarta-feira, 23, em Havana com o líder das Farc, Rodrigo Londoño Echeverri, conhecido como "Timochenko", durante encontro dos negociadores de paz do governo e dos guerrilheiros, que há quase três anos buscam o fim do conflito armado no país.

"Farei escala em Havana para uma reunião-chave com negociadores para acelerar o fim do conflito. A paz está perto", escreveu o presidente colombiano em sua conta no Twitter.

De acordo com a agência Efe, negociadores da guerrilha afirmaram que Timochenko já está em Havana e anunciará nesta quarta-feira, junto com Santos, o acordo alcançado pelas partes no ponto da justiça transicional, um dos temas mais delicados das negociações de paz, que as partes discutem há meses.

A justiça transicional é um mecanismo que permite processar os responsáveis por delitos durante o conflito armado, sem cair na impunidade. Esse acordo estabelecerá um tribunal especial e penas que não seriam cumpridas com a prisão pelos guerrilheiros, mas em colônias agrícolas, além de sua participação em programas de remoção de minas e em comissões da verdade, antecipou a "Radio Caracol".

Segundo o governo colombiano, chegar a um acordo de justiça transicional é uma das melhores notícias que a Colômbia poderia receber no último meio século e uma das mais importantes da história do país. "A justiça é o miolo das negociações de paz e com um acordo neste tema, o sonho de construir um país em paz começa a se transformar em uma realidade", disse o governo colombiano.

Fontes das Farc disseram que o anúncio deve ser feito por volta das 17h (18h em Brasília) no salão de protocolo de Laguito, em Havana. 

Desde que os diálogos de paz começaram, em novembro de 2012, "Timochenko" esteve pelo menos duas vezes em Havana onde, com autorização de Santos, se reuniu com o chefe negociador do governo, Humberto de la Calle, confirmou em maio o próprio chefe de Estado colombiano.

Ainda de acordo com fontes dos guerrilheiros, o presidente cubano, Raúl Castro, estará presente no anúncio que Santos e Timochenko farão nesta quarta-feira. Castro participará em qualidade de presidente do país anfitrião das conversas entre os dois lados, embora não esteja previsto até o momento que ela faça algum discurso. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Colômbia Farc Cuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.