Reuters
Reuters

Presidente da Comissão Europeia lamenta que ‘todos’ os refugiados queiram ir à Alemanha

Jean-Claude Juncker destacou importância de fazer imigrantes entenderem que ‘Europa quer ajudá-los, mas que também é preciso que eles se deixem ajudar’

O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2016 | 07h42

BERLIM - O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, lamentou que os refugiados queiram todos ir para a Alemanha, em um debate na terça-feira à noite na presença da comunidade da Bélgica, em Saint-Vith.

"As pessoas chegam à Grécia, à Itália e, em vez de aceitarem encontrar um abrigo em qualquer parte da Europa, querem ir todos para a Alemanha. Isso não funciona", afirmou. "Se praticarmos a solidariedade entre nós (entre os países-membros da UE), então, os refugiados devem estar prontos para irem lá, onde conseguimos lugar para eles", acrescentou.

Juncker deu como exemplo um caso de refugiados na Grécia, os quais Luxemburgo queria acolher. "Ninguém se oferecia, e eles ficaram todos muitos nervosos. Queriam todos ir para a Alemanha". "Quando nós lhes explicamos que Luxemburgo era perto da fronteira alemã, o avião ficou cheio de repente", contou Juncker, que é luxemburguês.

Ele insistiu na necessidade de fazer os refugiados entenderem que "a Europa quer ajudá-los, mas que também é preciso que eles se deixem ajudar". "É um ponto importante, que eu nunca mencionei. E eu não faço muitos discursos sobre isso, porque pode rapidamente contribuir para um ambiente desfavorável aos refugiados", completou.

Juncker pediu a todos os atores envolvidos que ajudem a resolver o problema dos refugiados: "os Estados, a União Europeia e os próprios refugiados". / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
RefugiadoImigranteAlemanhaSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.