EFE / KIM HONG-JI
EFE / KIM HONG-JI

Presidente da Coreia do Sul diz que Trump ‘merece crédito’ por diálogo com Pyongyang

Moon Jae-in também afirmou que a eliminação das armas nucleares da península coreana é ‘o caminho para a paz’, e declarou que está disposto a se reunir com o regime norte-coreano em circunstâncias adequadas

O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2018 | 09h16

SEUL - O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, deu crédito ao presidente dos EUA, Donald Trump, nesta quarta-feira, 10, por ajudar a desencadear as primeiras conversas intercoreanas em mais de dois anos.

+ Análise: Kim Jong-un lança uma ofensiva de charme olímpica

O encontro entre os representantes de Seul e Pyongyang foi realizado na terça-feira no lado sul-coreano da zona desmilitarizada, que divide as duas Coreias desde 1953, após um longo período de tensão na península coreana em razão dos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte.

+ Análise: O outro lado de uma medalha olímpica

“Acho que o presidente Trump merece grande crédito por promover as conversas intercoreanas, quero demonstrar minha gratidão”, disse Moon a repórteres durante uma entrevista coletiva. “Pode ser um trabalho resultante das sanções e pressões lideradas pelos EUA.”

Armas nucleares

Moon Jae-In também afirmou que a eliminação das armas nucleares da península coreana é "o caminho para a paz". "Temos que prosseguir com os esforços para celebrar Jogos Olímpicos pacíficos", declarou ele.

"Temos de resolver pacificamente a questão nuclear norte-coreana", acrescentou Moon, um dia após Pyongyang anunciar o envio de uma delegação aos Jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul.

O presidente sul-coreano declarou ainda que está disposto a se reunir com o regime de Pyonyang em circunstâncias adequadas. "Sob condições apropriadas posso celebrar uma cúpula a qualquer momento”, afirmou. "Mas não podemos fazer uma reunião apenas por fazer. Para celebrar esta cúpula é preciso criar as condições adequadas e garantir alguns resultados.”

Moon sempre defendeu o diálogo com o regime norte-coreano de Kim Jong-un como caminho para eliminar seus programas proibidos de armas. Os EUA consideram que a Coreia do Norte deve acabar com seus testes nucleares como passo prévio para qualquer negociação.

"Não temos qualquer divergência de opinião com os EUA", garantiu Moon durante a entrevista. "Eles apoiam totalmente as conversações intercoreanas e manifestaram ao Sul a esperança de que contribuam para solucionar a questão nuclear norte-coreana." / REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.