Presidente da Croácia depõe em julgamento de Milosevic

O presidente da Croácia, Stipe Mesic, depôs hoje como testemunha de acusação no julgamento do ex-presidente da Iugoslávia, Slobodan Milosevic, acusado de genocídio. Ele disse perante o tribunal que o ex-líder sérvio era belicoso e o responsabilizou pela desintegração da Iugoslávia. O depoimento de Mesic ao Tribunal Penal Internacional para a Iugoslávia (TPII) durou quatro horas.Segundo os especialistas, o testemunho apresentado pelo presidente croata foi a descrição mais clara até agora sobre o modo pelo qual Milosevic assumiu o controle do Exército federal, do orçamento e da presidência iugoslava, para transformá-los em entidades destinadas a promover uma "Grande Sérvia". Mesic disse ao tribunal que escreveu para o Conselho de Segurança da ONU, em outubro de 1991, advertindo que não ter controle sobre as forças iugoslavas e temer uma guerra generalizada. Ele foi o último titular da presidência rotativa da ex-Iugoslávia. "O Exército se tornou exclusivamente sérvio e Milosevic está despedaçando a Federação Iugoslava", teria escrito Mesic na ocasião, exortando a ONU a intervir no país. "Milosevic expurgou a todos os que não queriam ater-se à sua agenda, a fim de cumprir seus objetivos", afirmou hoje o presidente croata perante o tribunal. A acusação diz que as forças leais a Milosevic rerceberam ordens de expulsar os não-sérvios de regiões da Croácia e da Bósnia-Herzegóvina, para criar na região uma nação puramente sérvia. "Nunca o vi revelar qualquer emoção", disse Mesic sobre o caráter de Milosevic. "Tudo era dirigido ao objetivo que se propunha. Ele pode ter desistido da opção da guerra, mas nunca adotou nenhuma medida para evitá-la", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.