Presidente da Geórgia reconhece derrota eleitoral

O presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, admitiu nesta terça-feira que foi derrotado nas eleições parlamentares e afirmou que agora a oposição tem o direito de formar novo governo. O líder da oposição, o bilionário Bidzina Ivanishvili, disse que Saakashvili precisa renunciar. "A única decisão certa para Saakashvili seria a renúncia", disse Ivanishvili. Ele afirmou que deseja que a Geórgia entre na Organização para o Tratado do Atlântico Norte (OTAN), mas ao tempo quer que o país tenha boas relações com a Rússia. Embora Saakashvili continue como presidente, ele perdeu o controle do Parlamento. Ivanishvili deverá ser nomeado primeiro-ministro.

AE, Agência Estado

02 de outubro de 2012 | 16h46

"Nós precisamos normalizar as relações com a Rússia. Nossa estratégia de sermos membros da OTAN, contudo, não será revertida", disse Ivanishvili. O governo dos Estados Unidos elogiou as eleições parlamentares na Geórgia. "Os EUA congratulam o povo da Geórgia pelo sucesso das eleições parlamentares da segunda-feira", disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Em agosto de 2008, a Rússia e a Geórgia lutaram uma guerra de pouco mais de um mês nas regiões separatistas de Abkházia e Ossétia do Sul, quando ambos os territórios se declararam independentes de Tbilisi e foram invadidos por tropas georgianas. O governo russo, aliado aos separatistas, enviou seu exército, que expulsou as tropas da Georgia e chegou a 40 quilômetros de Tbilisi. Os russos foram parados apenas por um cessar-fogo negociado pelo então presidente francês Nicolas Sarkozy. A guerra de 2008 contra a Rússia foi vista como um revés político para Saakashvili.

O governo russo elogiou a derrota do partido de Saakashvili. "Nós esperamos que essas eleições levem ao Parlamento políticos mais responsáveis e construtivos", disse o primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev. Após a guerra de 2008, o mercado russo foi fechado para os produtos da Geórgia, como vinhos, água mineral, vegetais e frutas, prejudicando os agricultores e atacadistas da Geórgia. Medvedev se disse pronto a restaurar as relações entre os dois países.

Saakashvili falou à nação em rede nacional: "De acordo com os resultados preliminares, está claro que a oposição tem a liderança e deve formar o governo. E como presidente eu devo ajudá-los com isso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.