Presidente da Guiné-Bissau não é ferido em ataque

O presidente do Guiné-Bissau, João Bernardo "Nino" Vieira, não foi ferido durante o ataque a sua residência nesta madrugada, segundo um alto funcionário do governo do país africano. A esposa do presidente tampouco sofreu ferimentos. A residência foi atacada por homens armados, que foram combatidos por forças de segurança do país em um tiroteio que durou três horas. Soldados amotinados atacaram a residência presidencial pouco depois da meia-noite (horário local), matando pelo menos um de seus guardas e deixando vários outros feridos, segundo o ministro do Interior, Cipriano Cassama. De acordo com ele, os atacantes não chegaram ao quarto onde Vieira estava escondido. "É inaceitável que nós tenhamos outro golpe neste país", declarou.O ataque ocorreu uma semana após as eleições parlamentares na Guiné-Bissau, que foram realizadas em meio às acusações da oposição de que alguns políticos teriam sido financiados pelo tráfico de drogas. O ex-presidente Kumba Yala, cujo partido saiu menor da eleição, acusou Vieira de ser o maior traficante de drogas do país.Em um comunicado divulgado hoje sobre a situação da Guiné-Bissau, o presidente da União Africana (UA), Jean Ping, disse que a UA rejeita "qualquer mudança inconstitucional de governo e condena de antemão qualquer iniciativa para tentar assumir o poder à força".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.