AP Photo/Heri Juanda
AP Photo/Heri Juanda

Presidente da Indonésia visita região abalada por terremoto

Joko Widodo conversou com feridos em um hospital e se reuniu com autoridades locais, que declararam estado de emergência até o dia 20

O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2016 | 07h59

BANGCOC - O presidente da Indonésia, Joko Widodo, visitou nesta sexta-feira, 9, a região da Província de Aceh, no norte da Ilha de Sumatra, atingida há dois dias por um terremoto de magnitude 6,5 que causou a morte de pelo menos 102 pessoas e deixou mais de 700 feridos.

Widodo chegou de helicóptero à regência de Pidie Jaya, área mais afetada pelo tremor e onde morreram 99 pessoas, e conversou com feridos em um hospital local, segundo um vídeo publicado no site da presidência indonésia.

O líder se reuniu com autoridades locais, que declararam estado de emergência até o dia 20. Segundo os dados mais recentes da Agência Nacional de Prevenção de Desastres (BNPB), mais de 11 mil pessoas tiveram de ser retiradas. Além disso, o sismo causou danos em mais de 10 mil imóveis, 61 mesquitas e 4 colégios.

As autoridades mobilizaram mais de 1,2 mil soldados, incluindo militares e uma equipe de especialistas de BNPB, para participar das tarefas de emergência e reconstrução após o tremor, que teve mais de uma dúzia de réplicas, uma dela de magnitude 4,5.

O Serviço Geológico dos EUA (USGS), que monitora a atividade sísmica, localizou o hipocentro do terremoto diante do litoral de Pidie Jaya, a 8,2 quilômetros de profundidade.

A região onde ocorreu o sismo é a mesma que foi atingida em 2004 por um forte tremor, com mais de 9 graus na escala Richter, provocando um tsunami no Oceano Índico e causando a morte de aproximadamente 230 mil pessoas em 12 países, a maioria deles em Aceh.

A Indonésia está localizada no Círculo de Fogo do Pacífico, uma região de grande atividade sísmica e vulcânica atingida todos os anos por cerca de 7 mil tremores, a maioria deles moderados. / EFE

Veja abaixo: Imagens de drone mostram destruição após terremoto na Indonésia

Mais conteúdo sobre:
Terremoto Indonésia Joko Widodo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.