Presidente da Nicarágua diminui seu próprio salário

O novo presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, diminuiu seu próprio salário, que passou de 8 mil dólares para 3.200 dólares. A medida faz parte de um pacote de austeridade fiscal. Ortega, um ex-rebelde marxista que governou o país nos anos 1980 e que tomou posse novamente no dia 10 de janeiro, disse na segunda-feira que, após analisar a folha de pagamento do governo, cortou não apenas seus vencimentos, mas também os vencimentos de ministros e servidores públicos. "Há alguns salários ali que são surpreendentes", disse o presidente a jornalistas. Ortega prometeu diminuir a pobreza que fez da Nicarágua um dos países mais subdesenvolvidos do continente americano. Apesar de não ser rico quando comparado com a elite empresarial e latifundiária da Nicarágua, Ortega possui alguns bens. Ele declarou às autoridades eleitorais, antes das eleições presidenciais de novembro passado, que possuía um patrimônio de 217 mil dólares, incluindo uma casa de grandes dimensões na capital do país. Cerca de 80% dos nicaragüenses vivem com menos de 2 dólares por dia, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). A mulher de Ortega, a poetisa radical Rosario Murillo, trabalha como conselheira de mídia do presidente. Na segunda-feira, ela afirmou não receber nenhum salário em troca de seu trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.