Presidente da Nigéria dissolve gabinete

Goodluck Jonathan é cobrado por políticos e pela população por fazer uma 'liderança invisível'

Associated Press

17 de março de 2010 | 14h56

LAGOS - O ministro da Informação da Nigéria informou que o presidente Goodluck Jonathan dissolveu o gabinete do governo nesta quarta-feira, 17, pouco mais de um mês após ser empossado por conta da ausência de Umaru Yar'Adua, mandatário que estava internado.

 

A Assembleia Nacional empossou Jonathan como o presidente ativo em uma sessão no mês passado. Desde então, ele não tomou muita decisões como governante e foi duramente criticado pelos políticos e pelos nigerianos por sua "liderança invisível".

 

Os nigerianos também protestam pela ausência da Yar'Adua. O mandatário eleito esteve internado na Arábia Saudita para tratar de problemas do coração por três meses. O governo informou que Yar'Adua voltou par a Nigéria em fevereiro, mas desde que foi internado, não fez nenhuma aparição em público.

 

A decisão de Jonathan ocorre em um momento delicado na Nigéria. No início do mês, pastores muçulmanos invadiram um povoado de cristãos e deixaram mais de 500 mortos, evidenciando os conflitos étnicos no centro do país. Além disso, há o problema com os insurgentes do Delta nigeriano, região responsável pela maior parte da produção petroleira do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.