Presidente da Nigéria vai visitar cidade onde alunas foram sequestradas

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, irá visitar na sexta-feira o vilarejo do nordeste do país onde mais de 200 alunas foram sequestradas um mês atrás pelo grupo rebelde islâmico Boko Haram, disseram autoridades do alto escalão do governo.

Reuters

15 Maio 2014 | 20h54

Será a primeira visita de Jonathan a Chibok, epicentro de um esforço internacional crescente para resgatar as meninas. Autoridades disseram que ele irá participar de uma cúpula regional de segurança em Paris na qual o Boko Haram será discutido.

Jonathan está sofrendo pressão para acabar com os rebeldes, que mataram milhares em sua campanha por um Estado islâmico, e libertar as alunas, cujo sequestro despertou revolta em todo o mundo.

O governo nigeriano foi criticado pela sua reação lenta aos sequestros.

Na semana passada, Jonathan pediu à França que organizasse uma cúpula de segurança em Paris com os vizinhos Chade, Camarões, Níger e Benin, e autoridades de Estados Unidos, Grã-Bretanha e União Europeia para discutir uma reação coordenada.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira um pedido do presidente para prorrogar por seis meses o estado de emergência em três Estados do nordeste onde os militares estão combatendo militantes islâmicos.

Na terça-feira, Jonathan fez o mesmo pedido ao Parlamento para os Estados de Adamawa, Borno e Yobe, afirmando que a situação de segurança continua ameaçadora, com ataques persistentes contra civis e militares.

(Por Felix Onuah e Camillus Eboh)

Mais conteúdo sobre:
NIGERIA MENINAS PRESIDENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.