Piotr Malecki/Bloomberg
Piotr Malecki/Bloomberg

Presidente da Polônia Andrzej Duda testa positivo para covid-19

O líder conservador está bem e cumpre isolamento, segundo seu porta-voz

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2020 | 09h48

O presidente da Polônia, Andrzej Duda, testou positivo para coronavírus e está se sentindo bem, segundo seu porta-voz. O diagnóstico de Duda ocorre em meio a um grande aumento de casos confirmados de covid-19 e mortes relacionadas ao vírus na Polônia, país que registrou taxas de infecção muito baixas na primavera.

Seu porta-voz, Blazej Spychalski, disse no Twitter que o líder conservador de 48 anos foi testado no dia anterior e o resultado foi positivo. Ele disse que o presidente está isolado. "O presidente se sente bem. Estamos em contato constante com os serviços médicos relevantes", disse Spychalski. Por conta do contato com o presidente, o porta-voz também está em quarentena.

As principais funções constitucionais de Duda incluem orientação da política externa e assinatura de legislação. Mas muitas de suas funções são cerimoniais e a maior parte da governança do dia-a-dia do país é responsabilidade do governo do primeiro-ministro Mateusz Morawiecki.

A rápida disseminação do vírus está levando sistema de saúde da Polônia ao ponto de ruptura. Os médicos dizem que os pacientes estão morrendo não apenas por causa da covid-19, mas de outras doenças que os hospitais lotados não conseguem tratar. O governo está se preparando para abrir hospitais de campanha, mas não está claro onde encontrará médicos e enfermeiras para atendê-los.

Duda visitou na sexta-feira, 23, o Estádio Nacional de Varsóvia, que está sendo transformado em um desses hospitais. Ele também concedeu homenagens estaduais a Iga Swiatek, a tenista polonesa de 19 anos que venceu o Aberto da França no início deste mês, e seu pai e treinador, Tomasz Swiatek.

Duda e os suecos usavam máscaras e luvas, mas ficaram muito próximos e apertaram as mãos enquanto o presidente os punha com os prêmios. Iga Swiatek disse que ela e outras pessoas de sua equipe não apresentam sintomas, mas entrariam em quarentena. Ela disse que eles são testados regularmente e seriam testados novamente em três dias.

O governo polonês impôs novas restrições a partir deste sábado, 24, aproximando-se de um bloqueio na esperança de controlar o surto no país. O primeiro-ministro apelou aos poloneses para que observassem estritamente essas "sérias restrições" para proteger vidas. 

No sábado, a nação da União Europeia de 38 milhões de habitantes registrou 13.628 novos casos e 179 novas mortes - um número recorde de mortes em um dia desde o início da pandemia. Existem agora cerca de 11.500 pacientes hospitalizados com covid-19 e 911 deles com respiradores, disse o Ministério da Saúde. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.