Presidente da Síria manda soltar manifestantes presos

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, ordenou a libertação de centenas de detentos envolvidos com os recentes protestos por reformas políticas no país, informou a televisão estatal hoje. Segundo a notícia, a maioria dos detidos em meio às manifestações será libertada, exceto aqueles envolvidos em "atos criminosos".

AE, Agência Estado

14 de abril de 2011 | 15h12

A TV estatal afirmou ainda que o primeiro-ministro formou um novo gabinete. Assad dissolveu seu gabinete há duas semanas, em uma das várias concessões anunciadas por ele para tentar conter os protestos contra o governo. O presidente apontou o primeiro-ministro Adel Safar, que formou um novo governo hoje.

Os protestos começaram na Síria há um mês e ganharam força, com dezenas de milhares de pessoas nas ruas pedindo reformas políticas em um dos países mais autoritários do Oriente Médio. Mais de 200 pessoas foram mortas durante os distúrbios, segundo o principal grupo da Síria pela democracia, a Declaração de Damasco.

O anúncio da libertação dos presos é a maior concessão já feita por Assad para aplacar os protestos. Um funcionário sírio disse que uma delegação da província de Deraa, epicentro dos protestos, encontrou-se com o presidente hoje. Segundo a fonte, que pediu anonimato, essa reunião é parte dos esforços para acalmar a situação em Deraa, uma empobrecida província onde o levante começou. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.