Presidente da Ucrânia promulga lei de anistia

O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, promulgou nesta sexta-feira uma lei de anistia aos manifestantes presos durante os protestos contra seu governo. A lei condiciona a anistia à desocupação dos prédios públicos atualmente tomados pelos manifestantes.

AE, Agência Estado

31 de janeiro de 2014 | 12h49

A lei de anistia não conta com o apoio da oposição, para a qual os manifestantes detidos durante os protestos são "reféns" de Yanukovich. A oposição insiste em que os participantes dos protestos sejam libertados incondicionalmente.

A anistia foi concebida como uma tentativa de pacificar a Ucrânia depois de dois meses de protestos sistemáticos contra o governo.

Os protestos tiveram início no fim de novembro, quando Yanukovich desistiu de assinar um aguardado acordo para aproximar o país da União Europeia (UE) e optou por um multibilionário pacote de ajuda financeira oferecido pela Rússia

O tamanho e a intensidade dos protestos aumentaram depois de a polícia ter dispersado brutalmente duas manifestações contra o governo. Depois disso, foi estabelecido um acampamento permanente de protesto na principal praça do centro de Kiev. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniaanistia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.