Presidente da Venezuela ameaça estatizar bancos

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, advertiu os bancos privados do país que eles poderão ser estatizados se se recusarem a financiar projetos de desenvolvimento agrícola promovidos pelo governo. De acordo com a legislação venezuelana, os bancos devem destinar a projetos de desenvolvimento pelo menos 10% dos empréstimos que oferecem.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2012 | 21h01

"Os bancos privados que não cumprirem seus deveres e não agirem de acordo com a Constituição, bem eu não terei nenhum problema em estatizá-los. Precisamos assegurar que a Constituição e as leis sejam cumpridas", disse Chávez em seu programa semanal de rádio e televisão.

O presidente afirmou que a lei está sendo violada pelos maiores bancos privados da Venezuela, o Baneso, o Banco Mercantil e o Banco Provincial, que é controlado pelo BBVA espanhol. Durante o programa, Chávez mencionou pelo nome o presidente do Banesco, Juan Carlos Escotet, a quem exortou a emprestar mais aos agricultores. "Se você não pode fazê-lo, me dê seu banco", disse o presidente.

Boa parte do programa de Chávez foi dedicada a discutir o aproveitamento de terras ociosas. "Precisamos acelerar a recuperação da terra", disse o presidente, que defendeu a expropriação de terras improdutivas para distribuição aos agricultores pobres. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chávezestatizaçãobancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.