Presidente das Filipinas alerta sobre ataque a católicos

O presidente das Filipinas, Benigno Aquino III, alertou sobre um possível ataque terrorista, incluindo bombardeios, durante uma procissão anual Católica Romana na capital Manila, que atrai milhões de devotos. Junto com autoridades de defesa e segurança, Aquino afirmou em uma entrevista à imprensa convocada às pressas que vários terroristas que planejam interromper a procissão foram vistos na cidade.

DANIELLE CHAVES, Agência Estado

08 de janeiro de 2012 | 09h59

Segundo o presidente, a polícia está tentando prender os suspeitos e acabar com qualquer ataque planejado. "A triste realidade do mundo hoje é a de que terroristas querem eliminar a capacidade das pessoas de viverem suas vidas da forma que elas querem, incluindo a liberdade de trabalhar e se engajar em atividades comunitárias", declarou Aquino na entrevista, que foi televisionada.

Embora exista um "risco alto", Aquino disse que a possibilidade de um ataque terrorista não é suficientemente grande para que seja tomada a decisão sem precedentes de cancelar a procissão. O presidente afirmou que a segurança será reforçada durante a procissão, que leva uma imagem centenária de Jesus Cristo conhecida como Nazareno Negro.

Aquino orientou os devotos a não levarem celulares ou armas para o evento. Os fogos de artifício, que são tradicionalmente usados na procissão, serão proibidos e quem violar a ordem será preso. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.