REUTERS/Athit Perawongmetha
REUTERS/Athit Perawongmetha

Presidente das Filipinas se oferece como cobaia para testar vacina russa

Rodrigo Duterte disse confiar nos esforços russos para livrar o mundo da pandemia 

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2020 | 09h29

MANILA - O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ofereceu-se para ser cobaia da nova vacina russa contra o novo coronavírus. Nesta quarta-feira, 12, Duterte disse que ter uma grande confiança nos esforços da Rússia e se colocou como voluntário na testagem.

"Creio que a vacina que produziram é realmente boa para a humanidade", disse o presidente filipino. E completou: "Eu serei o primeiro a prová-la".

O porta-voz de Duterte, Harry Roque, confirmou que a declaração do presidente é verdadeira. De acordo com Roque, o presidente - conhecido por suas declarações populistas. "Ele é velho. Está disposta a sacrificar sua vida pelo povo filipino."

Autoridades da área de Saúde do país se reuniram com o centro russo Gamaleya, que desenvolveu a vacina, um dia depois de Vladimir Putin assegurar que o país havia encontrado resultados que garantem "imunidade duradoura".

A vacina russa contra a covid-19, a Sputnik V, foi anunciada nessa terça-feira, 11, pelo presidente da Rússia, mas foi recebida com cautela pela comunidade médica internacional, que pede um maior detalhamento sobre os protocolos seguidos e os parâmetros de testagem utilizados para a aprovação do medicamento pelo governo russo.

As Filipinas têm 107 milhões de habitantes e são o segundo país mais afetado pela pandemia do novo coronavírus no sudeste asiático, atrás apenas da Indonésia, com 143 mil casos confirmados de covid-19 e 2.400 mortos.

Na semana passada, mais de 27 milhões de pessoas voltaram a ser confinadas na capital, Manila, e em cidades da região metropolitana./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.