Presidente de Honduras ordena militarização de prisão

O presidente de Honduras, Porfírio Lobo, ordenou neste sábado (3) a militarização da principal prisão do país após um tumulto ter deixado ao menos três membros de uma gangue mortos e três guardas feridos.

ASSOCIATED PRESS, Agência Estado

03 de agosto de 2013 | 20h12

A medida, que colocará soldados encarregados da segurança na penitenciária, visa a "acabar com o reinado de criminosos em nosso sistema prisional, que infligiu tantos danos à nossa sociedade", declarou Lobo em comunicado.

O porta-voz da polícia, Miguel Martinez, disse que os membros da gangue enfrentaram conflito com criminosos comuns na Penitenciária Nacional de Honduras, que abriga 3.351 presos e está localizada 15 quilômetros ao norte de Tegucigalpa, capital do país. Martinez se recusou a fornecer mais detalhes.

Três membros da gangue morreram no confronto e outros nove ficaram feridos, revelou o diretor da penitenciária, Simeon Flores, em coletiva de imprensa. Três guardas também foram alvejados no conflito.

Mais conteúdo sobre:
Hondurasmilitarizaçãoprisões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.