Presidente de Taiwan diz não ter planos de visitar a China

O governo é cauteloso sobre relaxar as restrições de indústrias consideradas sensíveis ou estratégicas

AE-AP,

23 de março de 2008 | 03h21

O presidente eleito de Taiwan, Ma Ying-jeou, disse neste domingo que não tem planos imediatos de visitar a China continental e que vai trabalhar para cumprir seu programa de campanha, com o objetivo de melhorar as relações com o país vizinho. "Eu acho que os principais trabalhos englobam a resolução de problemas mais urgentes de nosso relacionamento com a China continental", disse Ma, ex-prefeito de Taipé. "Por exemplo, vôos diretos, que permitam que turistas chineses visitem Taiwan e a permissão para que nosso sistema financeiro trabalhe no continente". Embora milhares de empresas taiwanesas tenham investido na China nos últimos anos, a ilha ainda mantém proibições a viagens diretas, seja por mar - 160 quilômetros do Estreito de Taiwan separam os dois países - ou por ar.  O governo também é cauteloso sobre relaxar as restrições de indústrias consideradas sensíveis ou estratégicas, como os setores financeiro e de tecnologia. O principal temor é que Taiwan se torne muito vulnerável ou dependente da China, que ameaça usar seu grande poderio militar para unificar os dois lados.

Tudo o que sabemos sobre:
TAIWANCHINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.