Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Presidente de Taiwan faz forte discurso pró-independência

O presidente do Taiwan, Chen Shui-bian, fez um forte discurso pró-independência que abalou o mercado financeiro da ilha, com opositores acusando o líder de tentar iniciar uma guerra com a China.O governo chinês, que afirma que Taiwan é parte de seu território, foi rápida ao responder declarações de presidente taiwanês. "Quem quiser independência irá se tornar um criminoso histórico", disse o ministro de Relações Exteriores da China, Li Zhaoxing. As tensões aumentaram após discurso de Chen no domingo, 5, que dizia que "Taiwan deveria ser independente". "Nosso país vive fora da China", acrescentou.Tais declarações afetaram a China, que repetidamente ameaçou atacar Taiwan se esta se recusar a manter união. Os dois lados possuem governos separados desde que os comunistas venceram a guerra em 1949 e tomaram conta da ilha.Além disso, o momento de queda da bolsa chinesa aumentou mais o clima de tensão na região. "Esta declaração fere a confiança dos investidores", disse o analista de negócios da Mega Securities, Alex Huang.A oposição de Chen disseram que as acusações do presidente taiwanês foram irresponsáveis. "Estes comentários podem criar uma situação caótica e possivelmente iniciar uma guerra com a China", disse Kuo Shu-chun, legislador da oposição.O porta-voz do governo, Cheng Wen-tsang, tentou minimizar os comentários de Chen, dizendo que o presidente não queria mudar o status quo, mas simplesmente "espera que a realidade de nossa (independência de fato) possa ser respeitada pelo mundo".Andrew Yang, secretário-geral do Conselho Chinês de Estudos Avançados de Política, disse que Chen estaria testando a tolerância da China e dos EUA.Chen ainda está se recuperando de um escândalo de corrupção onde sua esposa e três assistentes foram indiciados por sonegação de fundos diplomáticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.