Presidente de Taiwan vê aumento de mísseis chineses

O presidente de Taiwan, Chen Shui-bian,disse na terça-feira que a China tem 1.328 mísseis balísticosvoltados contra a ilha autônoma, um aumento de um terço emrelação a estimativa anterior, ameaçando ainda mais aestabilidade no estreito de Taiwan. Em seu último discurso de Ano Novo antes de deixar ogoverno, em maio, Chen disse que o número de mísseis balísticosde curto alcance posicionados contra Taiwan subiu de 200 no ano2000, quando ele assumiu a presidência, e agora já supera suaestimativa mais recente, que era de 988 mísseis. Taiwan tem um governo distinto do governo da China desde1949, quando os comunistas de Mao Zedong venceram a guerracivil na China continental. Pequim reivindica sua soberaniasobre a ilha de 23 milhões de habitantes e governo democráticoe ameaça iniciar uma guerra se Taiwan declarar suaindependência formalmente. Chen criticou a crescente ameaça militar da China, dizendoque o Exército de Libertação Popular da China já finalizou seusplanos para uma invasão e planeja ampliar os limites de seuespaço aéreo. "Além de colocar em andamento um plano em três etapas paraque o Exército de Libertação Popular invada Taiwan, Pequim seprepara para designar uma 'zona de identificação de defesaaérea' no estreito de Taiwan e abrir uma nova rota aérea civilpassando pelo meio do estreito de Taiwan", disse Chen. Em seu discurso do Dia do Ano Novo, o presidente da China,Hu Jintao, repetiu que a China deseja uma reunificação pacíficacom Taiwan, mas avisou à ilha que ela não deve buscar suaindependência formal. (Reportagem de Richard Dobson)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.