Presidente diz que Irã celebrará programa nuclear em 10 dias

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quinta-feira que o país celebrará a "estabilização" de seu programa nuclear na próxima semana. O comentário reforça a idéia de que essa estabilização significa a instalação de 3 mil centrífugas de enriquecimento de urânio na usina de Natanz.Ahmadinejad afirmou que, pelos próximos 10 dias, estenderá as comemorações do 28ª aniversário da Revolução Islâmica, que em 1979 provocou a queda do regime do xá Mohamad Reza Pahlevi e o retorno ao país do aiatolá Ruhollah Khomeini.Os Estados Unidos alertaram que se as 3 mil centrífugas forem instaladas, as sanções contra o país poderiam aumentar, já que a ONU exigiu a suspensão do enriquecimento de urânio no Irã.O presidente iraniano afirmou que o governo está determinado a continuar com seu programa nuclear, ignorando as sanções impostas em dezembro pelo Conselho de Segurança.O Conselho alerta que o enriquecimento pode ser usado tanto como produção de energia como para a criação da bomba atômica.A nação celebrará a "estabilização e a instituição de nosso pleno direito" de enriquecer urânio, disse Ahmadinejad. "O governo pede para prosseguir com a necessidade (nuclear) nacional."Ahmadinejad argumenta que o Irã está dentro dos direitos do Tratado de Não-proliferação de Armas Nucleares para o enriquecimento de urânio.Na semana passada, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) revelou que o Irã planeja começar a instalação das centrífugas em fevereiro.A condição das novas centrífugas é desconhecida devido às declarações contraditórias dadas em janeiro por Teerã. Ano passado, afirmaram que a instalação começaria ao menos no final de 2006.Em dezembro, o negociador nuclear iraniano, Ali Larijani, revelou que a instalação estaria para começar. Nas semanas seguintes, oficiais relacionados ao assunto afirmaram repetidamente que a instalação das centrífugas não confirmava o início dos trabalhos.Ahmadinejad comentou nesta quinta que o anúncio das novas centrífugas deve vir antes de 11 de fevereiro, quando Teerã concluirá as comemorações da Revolução islâmica. Ele ainda afirmou que a população deverá sair às ruas para apoiar o programa nuclear."Os inimigos da nação iraniana devem saber que suas crenças errôneas serão derrubadas novamente em 11 de fevereiro", disse. Os EUA e muitos países do Ocidente acusam o Irã de tentar desenvolver armas nucleares, acusação negada por Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.