Omar Sobhani/ Reuters
Omar Sobhani/ Reuters

Presidente do Afeganistão promete acabar com refúgios do Estado Islâmico

Declaração do presidente Ashraf Ghani é uma reação ao ataque a bomba reivindicado pelo EI que deixou pelo menos 63 mortos e 182 feridos

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2019 | 03h43

CABUL - O presidente do Afeganistão,  Ashraf Ghani, prometeu acabar com refúgios do Estado Islâmico (EI) após o atentado a bomba que deixou pelo menos 63 mortos e 182 feridos em um casamento na noite de sábado, 17. A autoria do ataque foi reivindicada pelo grupo terrorista no dia seguinte.

Em mensagem online, o EI reivindicou a autoria do ataque suicida que ocorreu na cerimônia que era celebrada em uma área da minoria xiita em Cabul, capital do Afeganistão. O grupo identificou o terrorista como Abu Assim e disse que ele se infiltrou na festa e detonou os explosivos no meio dos “infiéis”. O ataque renovou os temores sobre a ameaça representada pelos combatentes do grupo terrorista.

O atentado ocorre no momento em que os Estados Unidos estão próximos de fechar um acordo de paz com o Taleban sobre a retirada das tropas americanas. Em troca, o grupo deve se comprometer com um diálogo de paz com o governo do Afeganistão. A negociação pretende cessar o conflito que se estende desde 2001. Inconformados com a tragédia, afegãos questionam se o acordo realmente trará paz para os civis.

O representante dos EUA nas reuniões com o Taleban, Zalmay Khalilzad, condenou o "ataque hediondo" e lamentou a morte de "dezenas de famílias afegãs inocentes que se reuniam para celebrar o que deveria ser uma ocasião alegre".

Khalilzad afirmou ainda que as negociações devem ser aceleradas para colocar o Afeganistão em “posição mais forte” para combater a seção local do Estado Islâmico. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.