Presidente do Afeganistão quer ficar mais três meses no cargo

Eleições foram adiadas para agosto por questões de segurança, devido ao confronto com militantes islâmicos

AP

07 de março de 2009 | 08h26

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse neste sábado, 7, ter aceitado a decisão da Comissão Eleitoral do país de marcar a eleição presidencial para o dia 20 de agosto, três meses após o fim do seu mandato, e surgiu permanecer no cargo até então. De acordo com a Constituição do país, a eleição deveria acontecer um ou dois meses antes do último dia do mandato do atual presidente, que acaba no dia 21 de maio. A comissão, no entanto optou por marcar o pleito para agosto por questões de segurança.O presidente ainda vai discutir com seus advogados a extensão do mandato, mas recebeu críticas da oposição. "Se as eleições forem adiadas, o mandato também deve ser. Mas a decisão não é minha. É uma decisão jurídica. Se for ilegal, saio em maio", disse. Tropas da Otan e dos EUA enfrentam militantes islâmicos rebeldes no país desde 2001. O presidente americano, Barack Obama, já deu sinais de que pretende ampliar a presença militar no país.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.