Presidente do Azerbaijão é reeleito com 89% dos votos

O presidente do Azerbaijão, um país rico em petróleo, obteve uma vitória política esmagadora e foi reeleito, em um sufrágio boicotado pela oposição. Observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE, na sigla em inglês) afirmaram hoje que a eleição não cumpriu os padrões internacionais. Com 70% dos sufrágios contados, o presidente Ilham Aliyev obteve 89% dos votos, informou hoje o chefe da Comissão Eleitoral Central, Mazahir Panahov. Aliyev, que lidera o país do Cáucaso desde 2003, enfrentou seis opositores nas eleições de quarta-feira, nenhum dos quais foi considerado um desafiante de peso e capaz de vitória. Funcionários do governo disseram que a eleição foi a mais democrática no Azerbaijão na era pós-soviética. Mas os cinco partidos da oposição boicotaram o sufrágio, alegando que não puderam fazer campanha com liberdade. Eles lembraram o histórico de Aliyev, que ordenou o fechamento de veículos da mídia independente e aprisionou figuras da oposição. A eleição marcou "progressos significativos, mas não cumpriu todos os padrões internacionais", disse Boris Frlec, chefe da missão de 440 pessoas da OSCE que monitorou a votação. Em comunicado, os monitores da OSCE disseram que faltou à eleição azeri "uma competição vibrante, com cobertura da mídia, e isso não reflete todos os princípios de uma eleição democrática pluralista".A Rússia e os Estados Unidos atualmente cortejam Aliyev e tentam ser a potência de maior influência no Azerbaijão, que foi uma república soviética até 1991. Além de ter petróleo no Mar Cáspio, o Azerbaijão é rota estratégica entre o Irã e a Ásia Central e os países da Europa, através do Mar Cáspio e do Cáucaso. Grande parte do petróleo azeri é bombeado para a Europa através de um oleoduto que cruza a Geórgia e vai até Ceyhan, porto turco no Mediterrâneo. Enquanto o Ocidente quer construir um gasoduto entre o Azerbaijão e o Mediterrâneo, a Rússia se oferece para transportar o gás por navio no Mar Cáspio. O presidente russo Dmitry Medvedev telefonou hoje para Aliyev e o cumprimentou pela vitória, antes mesmo dos resultados oficiais serem divulgados.A eleição presidencial foi a quinta no Azerbaijão desde o colapso soviético em 1991, mas muitos descrevem o país mais como uma monarquia do que uma república. Aliyev é filho de Geidar Aliyev, que governava o país primeiro como chefe do Partido Comunista no final da era soviética, depois como presidente entre 1993 e 2003. "Essas eleições não foram livres e justas. Não houve honestidade e os padrões internacionais não foram seguidos", reclamou hoje o líder opositor Isa Qambar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.