REUTERS/Shamil Zhumatov
REUTERS/Shamil Zhumatov

Presidente do Casaquistão ordena transição para alfabeto latino até 2025

Nursultan Nazarbayev assinou ordem criando comissão responsável pela tradução do idioma casaque em caracteres latinos; mudança pode indicar descontentamento do governo com ambições russas de manter influência política em toda a região

O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2017 | 16h49

ASTANA - O presidente do Casaquistão, Nursultan Nazarbayev, assinou uma ordem que determina a transição gradual do idioma casaque do cirílico ao alfabeto latino, anunciou nesta sexta-feira, 27, o palácio presidencial Akorda.

"Decreto a aprovação do seguinte alfabeto para a língua casaque, baseado no alfabeto latino", afirmou o presidente na ordem. Deste modo, Nazarbayev ordenou a implementação de uma comissão nacional para a tradução do idioma casaque em caracteres latinos, que deve concluir seu trabalho em 2025.

O decreto entrou em vigor hoje com a sua publicação no site do Akorda. O país usará um alfabeto latino de 32 letras - hoje, o Casaquistão tem uma versão modificada do alfabeto cirílico com 42 caracteres.

Apesar desta nação rica em petróleo ter fortes laços econômicos com a Rússia, a mudança distanciará, graficamente, Astana de Moscou e pode ser indicativa do descontentamento do governo casaque com as ambições russas de manter sua influência política em toda a região.

A medida faz parte de um plano de modernização do Casaquistão e ressalta sua independência como país após a dissolução da União Soviética em 1991. Por outra parte, esta disposição também poder criar complicações à população casaque, já que alguns cidadãos podem sentir-se analfabetos com a mudança.

Em abril, Nazarbayev definiu as principais metas desta reforma e anunciou que, depois de consultar professores universitários e representantes da sociedade civil, lançaria um novo padrão para o alfabeto do país antes do final de 2017.

Na ocasião, muitos casaques manifestaram seu descontentamento com o anúncio. As autoridades garantem, no entanto, que a mudança favorecerá o desenvolvimento da economia local.

O Casaquistão já introduziu o alfabeto latino entre 1929 e 1940, mas nesse ano se iniciou uma mudança para o alfabeto cirílico tendo como objetivo uma melhor comunicação entre as nações e os povos da União Soviética.

Depois, desde a dissolução da URSS em 1991, apenas Azerbaijão e o Turcomenistão fizeram progressos significativos na mudança ao alfabeto latino, enquanto no Usbequistão a transição fracassou. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.