Presidente do Comitê Olímpico iraquiano é seqüestrado

Um grupo de insurgentes seqüestrou neste sábado o presidente do Comitê Olímpico iraquiano, Ahmed al-Hijiya, e mais de uma dezena de empregados que participavam de uma reunião oficial. A reunião ocorria em Karradah, um bairro xiita de Bagdá. O ataque veio alguns dias depois que o técnico do time nacional de luta livre do Iraque foi morto. O bando, usando roupas da polícia iraquiana, usou pelo menos dez carros para o seqüestro, disseram oficiais. Depois de entrarem na sala onde era realizada a reunião, os bandidos mandaram que todos ficassem com o rosto virado para a parede. O lugar-tenente da polícia Thaer Mahmoud disse que entre os outros seqüestrados estão o vice-presidente do Comitê Olímpico, Ammar Jabbar al-Saadi, o presidente da federação de tae-kwon-do, Jamal Abdul-Karim, e o chefe da Federação de Boxe, Bashar Mustafa. Ainda não está claro o total de pessoas que foram levadas durante a investida. Os seguranças que estavam do lado de fora da reunião não interferiram porque pensaram que os seqüestradores eram da própria polícia, afirmaram os oficiais. Porém, dois guardas foram mortos enquanto tentavam entrar no prédio; o outro foi baleado e jogado em uma rua de Karradah. Em entrevista à Associated Press, o comandante das forças especiais do ministério do Interior iraquiano, general Adnan Thabet, negou o envolvimento de policiais no seqüestro. "Há alguns lados que não querem que ele (Al-Hijiya) fique na presidência do comitê", comentou Thabet.Esta não é a primeira vez que ocorre esse tipo de violência no setor de esportes iraquiano. Em 17 de maio, 15 membros de um time de tae-kwon-do foram levados enquanto dirigiam para um treinamento de campo no bairro de Jordan.Morte O seqüestro deste sábado veio dois dias depois que o time de luta livre iraquiano saiu de um torneio na União dos Emirados Árabes, após seu técnico, Mohammed Karim Abid Sahib, ser morto em Bagdá. Ele foi pego na quinta-feira com um de seus pugilistas, quando eles deixaram o centro de esportes para comprar alguns doces no norte do bairro de Kazimiyah, onde o time se preparava para o torneio. Sahib foi atingido por um tiro enquanto tentava escapar; o outro pugilista fugiu, de acordo com a polícia. Violência Em outro lugar do Iraque no sábado, um confronto entre soldados iraquianos e bandidos em Bagdá deixaram pelo menos três mortos e 11 feridos, disse a polícia. Pelo menos mais 17 pessoas foram mortas em todo o país. Sete pessoas foram feridas em um ataque mortal perto da rua de Haifa, no centro comercial de Bagdá, a apenas alguns quarteirões da zona verde, onde há casas dos embaixadores norte-americano e britânico, além do governo iraquiano. Todos foram hospitalizados, disse a polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.