Presidente do Egito aposenta chefe de espionagem

O presidente do Egito, Mohamed Morsi, ordenou nesta quarta-feira a aposentadoria do diretor de inteligência do país, Murad Muwafi, e outras mudanças nas fileiras militares e de inteligência que se estendem também ao chefe da guarda Republicana e o governador do Sinai do Norte, Abdel Wahab Mabruk.

AE, Agência Estado

08 de agosto de 2012 | 14h09

A decisão acontece alguns dias após um ataque que matou 16 soldados na Sinai do Norte e causou uma resposta militar sem precedentes na Península. O porta-voz de Morsi não disse se foi a ação dos militantes islamitas que causou as trocas de comando.

Morsi também pediu que o ministro da defesa, Hussein Tantawi, encontre um novo chefe da polícia militar. O presidente indicou Mohammed Shehata como chefe interino de inteligência.

No início da quarta-feira, Muwafi emitiu um comunicado dizendo que sua agência alertou com antecedência "autoridades relevantes" sobre o ataque iminente, e que seu papel era apenas coletar informações.

Morsi provavelmente tomou as decisões com colaboração dos militares, que governaram o país entre a deposição do presidente Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011 e a eleição de Morsi, em junho deste ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoMorsiinteligência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.