Nile TV/AP
Nile TV/AP

Presidente do Egito diz que é preciso diálogo para encerrar crise

'Tais eventos dolorosos aconteceram por causa das diferenças políticas que devem ser resolvidas', afirmou Morsi

estadão.com.br,

06 de dezembro de 2012 | 18h34

CAIRO - O presidente egípcio, Mohamed Morsi, disse nesta quinta-feira, 6, que uma crise política desencadeada por um decreto que amplia seus poderes deve ser resolvida pelo diálogo e não com violência.

"Tais eventos dolorosos aconteceram por causa das diferenças políticas que devem ser resolvidas por meio do diálogo", afirmou o presidente islâmico em discurso televisivo à nação, após dois dias de protestos violentos.

Mais cedo, a Guarda Republicana do Egito ordenou que os manifestantes deixassem a área ao redor do palácio presidencial. Os violentos confrontos deixaram sete mortos.

O comandante da Guarda, que começou a deslocar tanques e blindados com tropas para o local para ajudar a polícia, disse que a intenção era separar os adversários, e não reprimi-los. "As forças armadas, e na dianteira, a Guarda Republicana, não serão usados como ferramentas para oprimir os manifestantes", afirmou o general Mohamed Zaki à agência estatal de notícias.

Com informações da Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.