Presidente do Egito visitará Irã no fim do mês-—agência

O presidente islamista do Egito, Mohamed Mursi, visitará o Irã durante as reuniões do Movimento Não Alinhado em 30 de agosto, informou a agência de notícias estatal Mena. A visita será a primeira do tipo de um chefe de Estado egípcio a Teerã desde a revolução islâmica.

Reuters

18 de agosto de 2012 | 16h29

A agência citou fontes na presidência egípcia dizendo no sábado que Mursi "irá participar da cúpula" quando estiver voltando da China.

Um porta-voz de Mursi não estava disponível para dar declarações. Relatos da mídia egípcia sugeriram que Mursi poderia enviar seu vice recém-nomeado, Mahmoud Mekki, em seu lugar.

Desde que Hosni Mubarak foi derrubado da presidência egípcia no levante popular no ano passado, o Egito e o Irã mostraram interesse em renovar os laços cortados há mais de 30 anos, depois da Revolução Islâmica do Irã e do reconhecimento de Israel por parte do Egito.

No entanto, com o Ocidente pressionando o Irã para suspender seu controverso programa nuclear e os Estados Unidos como um grande doador das forças armadas do Egito, qualquer melhoria nos laços pode ser um caminho difícil de trilhar.

Mursi disse em junho que iria processar uma agência de notícias iraniana depois que ela o citou dizendo estar interessado em restaurar as relações com Teerã. Os assessores de Mursi disseram que a entrevista foi fabricada.

O Irã viu a vitória de Mursi, que deixou a Irmandade Muçulmana quando foi eleito em junho, como um "Despertar Islâmico". Mursi, no entanto, está lutando para acalmar os aliados ocidentais do Egito, temerosos com a perspectiva de um governo islâmico, e os Estados do Golfo, que suspeitam da influência iraniana.

O Egito atualmente lidera o Movimento Não Alinhado, fundado durante a Guerra Fria para defender as causas do mundo em desenvolvimento.

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOMURSIIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.