Presidente do Equador nega ligação com Farc

O presidente do Equador, Rafael Correa, negou hoje qualquer ligação com o grupo rebelde Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), após a divulgação ontem de um vídeo no qual um chefe da guerrilha menciona doações em dólares à primeira campanha eleitoral de Correa.

AE, Agencia Estado

18 de julho de 2009 | 16h40

O vídeo, apreendido na Colômbia e considerado autêntico pelo serviço de inteligência do país, mostra um encontro entre um líder das Farc e guerrilheiros rebeldes. "Pessoalmente, não conheço ninguém que pertença às Farc", disse Correa em seu pronunciamento semanal de rádio e TV. Ele também classificou como ultrajantes as acusações vindas da Colômbia.

O vídeo mostra o chefe militar Jorge Briceno dizendo a membros das Farc que o grupo ofereceu "financiamento em dólares'' para a campanha de Correa. As relações entre Equador e Colômbia estão estremecidas desde 2008, quando militares colombianos atacaram um acampamento das Farc em território equatoriano.

Correa disse que pedirá que um comitê criado para investigar esse ataque examine também se as Farc fizeram doações para sua campanha presidencial de 2006. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorCorreaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.